Fendas Intemporais por Jiôn Kiim & Artur Leão

 
 

FENDAS INTEMPORAIS

BY JIÔN KIIM & ARTUR LEÃO

Este espaço de ruína emanava uma sensação muito forte, tinha algo de sagrada que nos levou a explorar com especial interesse os seus elementos construídos abandonados que conjugados com a luz e as marcas do tempo definiam um génios locci particular.
Todos os vãos do edifício são elementos com muita força e servem como significativo foco para o olhar do espectador, despertando nele ainda mais o mistério por detrás do local onde aqueles adensamentos de luz nos levam. Esses vãos - buracos ou aberturas - são na verdade “buracos negros” através dos quais nos podemos projetar para uma espaço muito maior do que a dimensão que o pequeno orifício representa na imagem, ficamos quase que comprimidos e sugados pela sua imensidão. Os buracos claros e escuros transmitem uma energia muito poderosa, que nos faz parar no tempo para os observar e refletir.

O espaço já perdeu a sua função original e a sua arquitetura em ruína comunica um desleixo de algo que já deixou de ser e, por isso, é agora um espaço esquecido em busca de uma nova identidade e programa que lhes confira uma história e os transforme de forma significativa. E é esta busca por uma nova função e o potencial destes espaços em ruína que os torna elementos muito importantes para o universo da arquitectura e da cidade. Refiro-me especificamente a autores como: Sola-Morales que explica e defende um novo olhar sobre a cidade consolidada a partir destes espaços abandonados e em ruínas - Terrain Vague - que não “encaixam” numa determinada ideia de urbanidade ou arquitetura. Este novo olhar significa, acima de tudo, perceber que se pode intervir nestes espaços marginais da cidade existente através de programas, que nem sempre exigem construir novas formas de arquiteturas, que oferecem a estes espaços um novo significado e a preservação e registo da sua memória. Exemplos disso são apropriações e programas ligados a diversas manifestações artísticas que transformam e dão uma nova vida a estes espaços.

Bio - Jiôn Kiim
nasceu em Busan na Coreia do Sul. Frequentou o BFA em Design Industrial, especialização em Espaço e Produto na Hongik Univ. em Seul. Trabalhou como investigadora para o desenvolvimento de produto no laboratório da LG Electronics na Coreia. Depois de deixar a empresa, começou a sua própria pesquisa artística. A um semestre de estudos na ABK Stuttgart como aluna convidada, seguiram-se cinco anos na HfBK Dresden, tendo concluído o Diploma, especialização em Conceitos Expandidos de Arte. Em 2015, foi bolseira do DAAD Erasmus para a prática artística contemporânea no curso de mestrado da FBAUP. Recentemente colaborou com a Cityscopio Cultural Association no campo da fotografia como instrumento crítico, poético e de pesquisa para arquitetura, cidade e território. Expôs em várias exposições coletivas em espaços como o Salon Sophie Charlotte em Berlim, Motorenhalle em Dresden, Centro de Memória em Vila do Conde, GNRation em Braga, Espacio ZAWP em Bilbao, Maus Hábitos no Porto e Artspace O em Seul. A sua tese foi apresentada no Oktogon em Dresden. Durante 2018 desenvolveu uma pesquisa fotográfica em torno de ruínas e espaços industriais abandonados que resultou nos projetos 'Terrain Vague: Post forism Society' e 'Fendas intemporais'. Atualmente vive e trabalha no Porto.

Bio - Artur Leão
Artur Leão frequentou a Escola Artística de Soares dos Reis no Curso de Comunicação Audiovisual - Especialização em Fotografia. Licenciado em Artes Visuais e Fotografia pela Escola Superior Artística do Porto (ESAP). O seu trabalho Teedoff está publicado na plataforma digital da scopio Editions (2017). Integrou as exposições coletivas “6 - Exposição de Artes Visuais” (2017) na Torre B do Edifício de Belmonte; “Do Not Touch Fresh Paint!” (2018) no Espaço MIRA; e “Playlist #25” (2018), projecto curatorial de Nuno Ramalho no Café Candelabro. O seu projecto “Fendas Intemporais” (2018) foi selecionado para expôr na espaço da livraria da Associação dos estudantes na FAUP durante o ano de 2018. Co-fundador do projeto musical Benthik Zone.
Vive e trabalha na área metropolitana do Porto.

 

To Name A Mountain by Alfonso Almendros

 
 

TO NAME A MOUNTAIN

BY ALFONSO ALMENDROS

In the spring of 1863, the landscape-painter Albert Bierstadt, started his second tour across the Rocky Mountains with his friend the American writer Fitz Hugh Ludlow.

The story says that during their expedition, the painter was astonished by the view of an enormous mountain. Immediately he made a sketch where a dark grey storm crosses an imaginary horizon of gigantic peaks blown out of proportion. Bierstadt entitled his painting “A storm in the Rocky Mountains, Mount Rosalie” in honor of his traveling companion’s wife. The work was interpreted as a representation of his emotional anguish and the mountain, unnamed until that date, was named Mount Rosalie in honor of the woman that Bierstadt secretly loved.

Most critics thought Mount Rosalie was impossibly high. The painting and Bierstadt’s work seem to talk about desire, but always through the excess and the violation of a reality that only seemed suggestive for the artist when it was conducted by his imagination. His idea of beauty oscillated between the sublime exaltation of his emotions and the calculated effectiveness of the forms. Both contradictory notions though, is it not an audacity and a frustration at the same time to try to reach a summit? Nevertheless, the purpose of naming a mountain is an act charged of poetry. It tells us about the desire of possession and permanence. It reminds us, through creation, of the memory of those we have loved.

Bio
Alfonso Almendros is a Spanish photographer and lecturer living in Madrid. He graduated in 2010 with a Bachelor in History of Art from the University of Valencia, an Associate Degree in Artistic Photography from E.A.S.D Valencia and a MA Photography in Efti Madrid.

His work has been exhibited internationally, including exhibitions in Encontros da Imagem in Braga, Sala Kursala from the University of Cádiz, the Cultural Center of Spain in Mexico, the King Juan Carlos I Center of New York, Article Gallery in Birmingham or Guernsey Photography Festival and granted in several international competitions like the V Galician Prize of Contemporary Photography, the Roberto Villagraz Grant 2016, the Photographic Museum of Humanity 2014 grant or the Grand Prix Fotofestiwal 2011.

Since 2015, he is a visiting professor at the Instituto Nicaragüense de Enseñanza Audiovisual and the National Cinematheque of Nicaragua, Node Center of Curatorial Studies in Berlin and the IED Madrid.

alfonsoalmendros.com
instagram

 

Aula Aberta "Para uma Arquitetura Fotográfica" com Cláudio Reis - PROGRAMA DE AULAS ABERTAS À CIDADE – REITORIA DA U. PORTO

 
Captura de ecrã 2019-04-15, às 11.24.57.png

PROGRAMA DE AULAS ABERTAS À CIDADE – REITORIA DA U. PORTO

AULA ABERTA | DEBATES ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM (AAI) “PARA UMA ARQUITETURA FOTOGRÁFICA“ COM CLÁUDIO REIS

Realizou-se no passado dia 12 de abril na Casa Comum da Reitoria da U. Porto mais uma sessão do ciclo Debates AAI, intitulada “Para uma arquitetura fotográfica”, integrada na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP. Esta sessão insere-se no programa cultural de aulas abertas à comunidade da Reitoria da U. Porto e contou com a presença de Cláudio Reis, fotógrafo, e de Pedro Leão Neto, coordenador do projecto Visual Spaces of Change.


Considerando a presente autonomia da imagem digital face a questões de representação, a fotografia tende a ser apreendida com relativa naturalidade enquanto construção. Tratando-se do universo de arquitectura e do espaço público, esta ambiguidade é acentuada no próprio processo de trabalho, desde sempre articulado entre a construção de cariz documental e a proposição especulativa. A ilusão de apreensão espacial mediante o tempo próprio da superfície fotográfica será o ponto de partida para uma reflexão em torno da representação de espaços e formas concretas e imaginárias, questionando a validade contemporânea da imagem de arquitectura enquanto documento, o seu poder de sugestão e pertinência para a criação de ficções.
Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 


Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, agora com o apoio da Reitoria, são de grande interesse para o projeto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
Estas sessões são de entrada gratuita.


Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 

 

PALESTRA "SCOPIO EDITIONS: ARQUITECTURA, ARTE e IMAGEM | FOTOGRAFIA DOCUMENTAL E ARTÍSTICA"

 

PALESTRA "SCOPIO EDITIONS: ARQUITECTURA, ARTE e IMAGEM | FOTOGRAFIA DOCUMENTAL E ARTÍSTICA"

Pedro Leão Neto dia 4 de Abril às 14h, na Escola Artística de Soares dos Reis - Porto


Realizou-se no passado dia 4 de abril (quinta-feira) pelas 14:30, na Escola Artística de Soares dos Reis, Porto uma palestra sobre Fotografia, Arquitectura e Editorial dirigida aos alunos e professores de turmas de arte da Escola, bem como ao grupo de alunos e professores de três escolas parceiras no projeto Erasmus+ “A grasp of graphics and visuals ”.

O convite para a palestra foi da responsabilidade da docente da Escola a Professoa Luísa Fragoso, sendo o projeto International EASR coordenado pela Technikum Fototechniczne | Warszawa | Polónia (http://fotospokojna.com/). As restantes escolas parceiras são a Walter-Gropius-Berufskolleg | Bochum | Alemanhã (http://www.wg-bo.de/about.html) e a HTBLVA  Graz | Ortweinschule | Graz | Áustria (www.ortweinschule.at). As actividades do projeto centram-se na tecnologia fotografia, vídeo e design de comunicação. Mais informações podem ser encontradas no site do projeto https://www.essr.net/grasp/index.php/about/.

A palestra teve como mote de debate e discussão a apresentação “SCOPIO EDITIONS: ARQUITECTURA, ARTE e IMAGEM | FOTOGRAFIA DOCUMENTAL E ARTÍSTICA”. Foi assim possível promover uma reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital. A sessão contou com a leitura crítica por pedro leão neto dos trabalhos realizados pelos alunos da Soares dos Reis com os Erasmus aquando da sua visita.

Através da realização destas palestras em Escolas de Arte e outras instituições pré-universtárias pretende-se contribuir para a criação de um espaço de divulgação, exploração, debate e reflexão de ideias em torno de dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 

Estas palestras, próximas dos debates AAI, são também de grande interesse para a divulgação do projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).

 

IPF: SCOPIO NETWORK: FOTOGRAFIA, ARQUITECTURA E URBANISMO

 

SCOPIO NETWORK: FOTOGRAFIA, ARQUITECTURA E URBANISMO
Pedro Leão Neto Dia 24 de Abril (4ªf) às 18h, no Instituto Português de Fotografia do Porto.

Dia 24 de Abril (4ªf), às 18h, Pedro Leão Neto, fundador da SCOPIO Network, coordenador da revista Scopio e do grupo de investigação CCRE na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde é docente de fotografia e CAAD, irá partilhar ideias em torno da criação da SCOPIO Network e do projeto Visual Spaces of Changes, os seus objectivos e práticas, discorrendo sobre a imagem fotográfica enquanto instrumento de mediação e indagação da arquitectura e do espaço público.

Mais informação

 

Aula Aberta André Castanho + Apresentação Sophia Journal com Álvaro Domingues

 
aulaAndreCastanho-Print.jpg

AULA ABERTA “CULTURA DA DESINTEGRAÇÃO"
ANDRÉ CASTANHO +  ÁLVARO DOMINGUES – APRESENTAÇÃO DE SOPHIA JOURNAL: PHOTOGRAPHY AND ARCHITECTURE

Realizou-se no passado dia 5 de abril pelas 14:30, na sala CCR 0.1 da Casa Cor de Rosa da FAUP, mais uma sessão do ciclo Debates AAI, integrada na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP. Esta sessão contou com a presença de André Castanho (Arquiteto e Fotógrafo) e Álvaro Domingues (Geógrafo, Autor e Investigador – FAUP).

A aula aberta teve como primeiro momento a apresentação de “Cultura da Desintegração”, um projecto desenvolvido por André Castanho, realizado entre os anos de 2011 e 2013 no âmbito da tese final de mestrado na Escola da Arquitetura da Universidade do Minho, o qual propõe uma metodologia de representação e interpretação de uma amostra do Litoral Norte de Viana do Castelo, ancorando-se na realização fotográfica sistematizada. Depois, teve lugar um momento de debate em volta da temática da Arquitectura na Fotografia iniciado por Álvaro Domingues seguida por uma breve apresentação do 2º número da revista Sophia Journal: Photography and Architecture.

Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 


Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
Estas sessões são abertas a toda a comunidade académica e a entrada é gratuita

Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva inquisitiva, curatorial e comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U.Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público.

 

PROGRAMA DE AULAS ABERTAS À CIDADE – REITORIA DA U. PORTO Aula Aberta "Para uma Arquitetura Fotográfica" com Cláudio Reis

 
banner_claudio_reis.png

PROGRAMA DE AULAS ABERTAS À CIDADE – REITORIA DA U. PORTO

AULA ABERTA | DEBATES ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM (AAI) “PARA UMA ARQUITETURA FOTOGRÁFICA“ COM CLÁUDIO REIS


12 abril | 18h00 – Edifício da Reitoria, Casa Comum – U. Porto
Aula aberta "Para uma arquitetura fotográfica" com Cláudio Reis

Irá realizar-se na Casa Comum da Reitoria da U. Porto, dia 12 de abril, pelas 18h00, inserido no seu programa cultural de aulas abertas à comunidade, mais uma sessão do ciclo Debates AAI intitulado “Para uma arquitetura fotográfica”, integrado na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP, contando com a presença de Cláudio Reis, fotógrafo. 
A aula aberta conta com a presença de Pedro Leão Neto, coordenador do projeto Visual Spaces of Change.
Considerando a presente autonomia da imagem digital face a questões de representação, a fotografia tende a ser apreendida com relativa naturalidade enquanto construção. Tratando-se do universo de arquitetura e do espaço público, esta ambiguidade é acentuada no próprio processo de trabalho, desde sempre articulado entre a construção de cariz documental e a proposição especulativa. A ilusão de apreensão espacial mediante o tempo próprio da superfície fotográfica será o ponto de partida para uma reflexão em torno da representação de espaços e formas concretas e imaginárias, questionando a validade contemporânea da imagem de arquitetura enquanto documento, o seu poder de sugestão e pertinência para a criação de ficções.
Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 
Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, agora com o apoio da Reitoria, são de grande interesse para o projeto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
A Entrada é gratuita.


Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 


Biografias
Cláudio Reis (n. 1980). Licenciatura em Arquitectura, Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (2004). Mestrado em Fotografia, com distinção, Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa (2014). Desde 2015 tem vindo a desenvolver a sua prática artística conjuntamente com uma investigação de Doutoramento em Media Digitais, através de um protocolo de colaboração estabelecido entre a Universidade do Porto e a Universidade de Texas, Austin, EUA. Para mais informações: www.umclaudio.com

Pedro Leão Neto (CCRE, AAI2 Lab)
Arquitecto pela FAUP (1992) onde actualmente é regente de Comunicação, Fotografia e Multimédia do 2º ciclo, é coordenador do grupo de investigação CCRE, integrado no centro de I&D da FAUP, coordenador do AAI 2 Lab integrado no Centro de Competências da Universidade do Porto para a área dos media U.Porto Media Innovation Labs (MIL) e Director da Associação Cultural Cityscopio (ACC). É Editor e coordenador responsável das publicações da scopio Editions desde 2010, cujo enfoque é o da fotografia documental e artística relacionada com Arquitectura, Cidade e Território.

 

1st Workshop “Alternative Paths: Architecture, Photography and Dance” | March 30th

 

EN / PT

1st Workshop “Alternative Paths: Architecture, Photography and Dance” 

30 march | Case study Visual Spaces of Change (VSC) | Collaboration between the research group CCRE - CEAU - FAUP and Companhia Instável.


The first phase of the 1st Workshop "Alternative Paths: Architecture, Photography and Dance”, part of Visual Spaces of Change (VSC) case study was held on March 30th.

The Alternative Paths: Architecture, Photography and Dance project is an initiative of the research group CCRE-CEAU-FAUP and Companhia Instável (CI), and integrates AAI 2 Lab and scopio Editions into its organization. Alternative Paths (Percursos Alternativos) is born from the collaboration and integration of two projects that, through different forms, relate, question and interpret the urban public space and its transformations: the Visual Spaces in Change (VSC), developed by CCRE-CEAU-FAUP, and Paths through Architecture, developed by CI.'

The first phase of the workshop included (i) two Master Classes, (ii) a guided visit to FAUP and (iii) two exercises / exploratory photography and contemporary dance projects. The guided tour by the Portuguese architect Álvaro Siza Vieira (FAUP) was led by Lucas Certo, a student of FAUP's 5th year.

After the guided tour, Pedro Leão Neto, architect and professor of Photography curricular units at FAUP and coordinator of the research group Center for Communication and Space Representation (CEMR), carried out the first Master Class, presenting a set of themes related to architecture in photography. Thus, themes such as The Architectural Promenade (Le Corbusier) - how the spectator experiences the space in architecture through a path - and how to translate this experience through a visual photographic narrative; Walkscapes approaching Francesco Careri's idea of walking as an aesthetic practice and the importance of narrative in photography, paying special attention to the visual narratives that are possible to achieve with the development of a photobook.

After lunchtime, Ana Figueira, artistic director of the Companhia Instável, proceeded to the second Master Class and then developed the part of the workshop that was intended to explore the relationship between space, movement, contemporary dance and architecture.

Participants were invited to explore unlikely spaces for the creation and presentation of small contemporary dance exercises and, through them, to better understand the relationship between space and body, as well as to develop a greater critical thinking about these themes.

Guided tour and dance exercises were accompanied by photographers / researchers from the CCRE and AAi 2 Lab group - Ana Miriam, Eduardo Silva and Rita Silva - who developed a first exploratory exercise using a strategy of synchronised cameras to construct some examples of different sequences points of view and expansion of the same situation, interaction and space throughout the workshop.

The first phase of the workshop thus served as an approximation to the themes and exercise that are intended to develop, constituting a brainstorm and a basis for developing a more complete project formed by a set of visual narratives to be created by the participants, of a system of tutoring, being our objective to create the necessary conditions so that later these works can be published either online or in physical support by scopio Editions.

Fotografias de Eduardo Silva e Rita Silva

companhiainstavel.pt
read more

 

1º Workshop “Percursos Alternativos: Arquitetura, Fotografia e Dança” | 30 de Março

 

EN / PT

1º Workshop “Percursos Alternativos: Arquitetura, Fotografia e Dança”

30 de março | Caso de estudo Visual Spaces of Change (VSC) | Colaboração entre grupo de investigação CCRE-CEAU-FAUP e Companhia Instável

Realizou-se no passado dia 30 de março a primeira fase do o 1º Workshop “Percursos Alternativos: Arquitetura, Fotografia e Dança”, caso de estudo Visual Spaces of Change (VSC).

O projeto Percursos Alternativos: Arquitetura, Fotografia e Dança é uma iniciativa do grupo de investigação CCRE-CEAU-FAUP e da Companhia Instável (CI), e integra na sua organização o AAI 2 Lab e scopio Editions. Percursos Alternativos nasce da colaboração e entrosamento de dois projetos que, através de diferentes formas, se relacionam, questionam e interpretam o espaço público urbano e as suas transformações: o Espaços Visuais em Mudança (VSC), desenvolvido por CCRE-CEAU-FAUP, e Percursos pela Arquitetura, desenvolvido pela CI.

A primeira fase do workshop integrou (i) duas Master Classes, (ii) uma visita guiada à FAUP e (iii) dois exercícios / projectos exploratórios de fotografia e dança contemporânea. A visita guiada pela faculdade da autoria do arquiteto português Álvaro Siza Vieira (FAUP) teve como responsável Lucas Certo, aluno do 5º ano da FAUP.

Após a visita guiada, Pedro Leão Neto, arquiteto e professor das unidades curriculares de Fotografia na FAUP e coordenador do grupo de investigação Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE), procedeu à primeira Master Class,  apresentando um conjunto de temáticas relacionadas com arquitetura na fotografia. Foram assim abordadas temáticas como Promenade Arquitectural (Le Corbusier) - o modo como o espectador experiência o espaço na arquitectura atravé de um percurso - e como traduzir essa experiência través de uma narrativa visual fotográfica; Walkscapes abordando a ideia explorada por Francesco Careri do andar como uma prática estética e a importância da narrativa na fotografia, dando especial atenção às narrativas visuais que são possíveis alcançar-se com o desenvolvimento de um fotolivro.

Depois da hora de almoço, Ana Figueira, diretora artística da Companhia Instável, procedeu à segunda Master Class e desenvolveu em seguida a parte do workshop que tencionava explorar a relação entre o espaço, movimento, dança contemporânea e arquitetura. 

Os participantes foram convidados a explorar espaços improváveis para a criação e apresentação de pequenos exercícios de dança contemporânea e, através deles, percecionar de forma mais rica a relação entre espaço e corpo, bem como desenvolver um maior pensamento crítico sobre estas temáticas.

A visita guiada e os exercícios de dança foram acompanhado pelos fotógrafos / investigadores do grupo CCRE e AAi 2 Lab - Ana Miriam, Eduardo Silva e Rita Silva - que desenvolveram um primeiro exercício exploratório utilizando uma estratégia de câmaras sincronizadas para construir algumas sequências exemplificativas de diferentes pontos de vista e ampliação da mesma situação, interação e espaço ao longo do workshop.

A primeira fase do workshop serviu assim como uma aproximação às temáticas e exercício que se pretendem desenvolver, constituindo um brainstorm e uma base para desenvolver um projeto mais completo formado por um conjunto de narrativas visuais a serem criadas pelos participantes, devendo ser estes acompanhados através de um sistema de tutoring, sendo o nosso objectivo criar as condições necessárias para que  mais tarde estes trabalhos possam ser publicados quer online como em suporte físico pela scopio Editions.

Fotografias de Eduardo Silva e Rita Silva

companhiainstavel.pt
ler mais 

 

PRESENTATION OF THE BOOK "A TALK ON ARCHITECTURE IN PHOTOGRAPHY: PHOTOGRAPHS BY PAOLO ROSSELLI" / PRESENTATION OF THE INTERNATIONAL PHOTOGRAPHY AND DRAWING CONTEST (DPIc)

 
IMG_9752copy.jpg
 
 
 

EN / PT

INTERNATIONAL PHOTOGRAPHY AND DRAWING CONTEST (DPIc) - PRESENTATION OF "A TALK ON ARCHITECTURE IN PHOTOGRAPHY: PHOTOGRAPHS BY PAOLO ROSSELLI" / CONVERSATION ABOUT "ARCHITECTURE AND FICTION IN PHOTOGRAPHY"

Past friday, the 29th of March, the conference "INTERNATIONAL PHOTOGRAPHY AND DRAWING CONTEST (DPIc) - PRESENTATION OF "A TALK ON ARCHITECTURE IN PHOTOGRAPHY: PHOTOGRAPHS BY PAOLO ROSSELLI / CONVERSTATION ABOUT "ARCHITECTURE AND FICTION IN PHOTOGRAPHY" took place in Fernando Távorá’s auditorium, in FAUP.

Pedro Leão Neto and Camilo Rebelo (the organizers of the DUEL/DUET (AAI) SERIES) opened the session, followed by Fátima Vieira (U. Porto Vice-Rector for Culture) who presented International Photography and Drawing Contest (DPIc): Space and Identity of the 14 Faculties of U. Porto. The next speaker was José Miguel Rodrigues (the Director of CEAU-FAUP) who presented the book of Pedro Gadanho and Paolo Rosselli A Talk on Architecture in Photography: Photographs by Paolo Rosselli, followed by a discussion between Pedro Gadanho and Paolo Rosselli about Architecture and Fiction in Photography, a conversation that was open to the participation of everyone in the audience.

A Talk on Architecture in Photography: Photographs by Paolo Rosselli
The book Pedro Gadanho - Paolo Rosselli - A Talk on Architecture in Photography: Photographs by Paolo Rosselli is the first of the four publications focused on each of the Dueto/Duelo sessions that fostered a critical debate related to Architecture, Art and Image between architects and photographers, which took place in 2016 in Casa das Artes of Porto, Portugal. The curators of this event - Architecture, Art and Image (AAI) Conference series - Duelo / Dueto - were Camilo Rebelo and Pedro Leão Neto. Having as base the talk between Pedro Gadanho and Paolo Rosselli and the rich exchange of ideas between these two authors, the book comprises a visual narrative where the sum is greater than the parts, allowing for an innovative reading and a more insightful understanding about the thoughts, work and artistic strategies of Rosselli photography.

(DPIc) - Space and Identity of the 14 Faculties of U. Porto
The International Drawing and Photography Competition (DPIc) - Space and Identity of the 14 Faculties of U. Porto: Visual Spaces of Change (VSC) is addressed to all U. Porto students and researchers. The core theme of the contest is the idea of Utopia and Visual Spaces of Change (VSC), focusing on the spaces and identity of the 14 Faculties of U. Porto. The competition is organized by the research group CCRE (FAUP) integrated in the R & D center of FAUP (CEAU) in partnership with the Student Associations of all Faculties of U. Porto, being promoters the consortium of the project, counting with the institutional support of the Rectory of U. Porto and FAUP.

Visual Spaces of Change (VSC)
Visual Spaces of Change is the first stage of an Architecture, Art, Image, and Innovation (AAI2) Project, which has a significant component of Contemporary Photography combined with complementary research in Space Syntax and Information Technology. Building on earlier research from the Center for Communication and Spatial Representation (CCRE), this project will investigate the conditions for the creation of a network of public and collective spaces capable of catalyzing emerging dynamics of urban change in Oporto Metropolitan Region (AMP). The territory of this study is simultaneously used as the laboratory for empirical experimentation and as the stage for visual representation of the agents and processes of urban change. This research project will produce visual synthesis of these dynamics in order to render visible aspects of its interconnected nature and historical singularity, which are difficult to perceive without the purposeful use of image and photography. This project breaks new ground in proposing an original combination of visual research methods and spatial analysis, departing from the identification of a set of strategic city spaces and pathways connected by network points (VSCNP) identified in the urban grid. These network points are calculated by using syntactic measurements, which allow for the identification of the location of optimal interaction between public and collective spaces. Contemporary Photography Projects (CPP) will be developed and implemented in the selected locations, conceived as visual narratives that intentionally interfere with the metropolitan territory in a self-reflective representation of its own process of change.

 

Aula aberta "Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward MAM’19" com Andreia Garcia

 
 

Aula Aberta “Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM’19 – Mês da Arquitectura da Maia”

com Andreia Garcia - Architectural Affairs
22 de março | 14:30 - 16:00 | Forum da Maia

sessão 4
22 Março | 14h30 - 16:00 |  (Sexta-feira) – Forum da Maia
Aula aberta "Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward MAM’19" com Andreia Garcia – Architectural Affairs

Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM’19 – Mês da Arquitectura da Maia

Realizou-se no passado dia 22 de março, às 14:30 no Forum da Maia, uma visita guiada à exposição Fast Forward - MAM´19 - Mês da Arquitetura da Maia, a qual foi conduzida por Andreia Garcia – a curadora do evento. Esta aula aberta constituiu a quarta sessão do ciclo Debates AAI, integrada na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP, as quais são abertas a toda a comunidade académica e público em geral.

Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 

Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).

Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 

Sobre o MAM’19 - MÊS DA ARQUITETURA DA MAIA - FAST FORWARD
1.03.2019 - 31.03.2019

Fast Foward, o tema do MAM´19, inova nesta edição ao ampliar o seu público assistente, sendo agora bilíngue e pretendendo explorar o futuro e temáticas que lhe são indissociáveis como território, paisagem, ambiente, arquitetura, tecnologia, mobilidade e sociedade. Esta iniciativa é promovida pela Câmara Municipal da Maia e foi criada pelo Atelier Andreia Garcia Architectural Affairs da arquiteta portuguesa Andreia Garcia, responsável pela curadoria do evento.

Esta 2ª edição do Mês da Arquitetura da Maia oferece mais uma vez um programa ambicioso, onde propõe uma antevisão do território a 100 anos com a participação de 8 ateliers de arquitetura emergentes e 4 críticos da arquitetura, os quais foram convidados a imaginar, expôr, discutir, refletir e revisitar a arquitetura da cidade da Maia no ano de 2119 de uma forma utópica e distópica.

A partir da criação de um conjunto de textos, maquetas, desenhos rigorosos, ilustrações, colagens, instalações, realidade virtual e leituras artísticas, a conjugação de visões que resulta desta exposição parte da cidade em estudo e alarga ao mundo o apelo à reflexão crítica, mais ou menos profética, enquanto provocação ao incremento da discussão sobre o futuro das cidades.

A exposição terá lugar de 01 a 31 de Março no Fórum da Maia (de Terça-Feira à Domingo das 09h às 22h), a entrada é gratuita e livre (na exposição e nos debates).


Acompanhe e participe nas atividades nas nossas redes sociais:
Facebook e Instagram
http://andreiagarcia.com
www.facebook.com/mesdaarquiteturadamaia

 

ELEGY by Justin Kimball

 
 

ELEGY

BY JUSTIN KIMBALL

Statement
Between 2012 and 2016 I photographed in small, all but defunct towns in New York, Massachusetts and Pennsylvania.  Most of them were company towns that relied on natural resources to survive: coal, steel, lumber, paper and farming. These businesses are long gone now, the local economy dried up and blown away. The pictures I have been making in these towns are of the people who live there now, their homes, backyards, the streets and the buildings that once supplied the town its livelihood and economy. While the pictures are about a specific region, they also point to a growing invisible, yet ubiquitous, part of the American landscape. The body of work is meant to pose questions about what happens when things get hard; these are questions about struggle, hope and what it is to be human. These are always important questions, but in this  political moment they are, if possible, even more critical.

-JK



Bio
Justin Kimball was born in Princeton, New Jersey, in 1961.  He earned a B.F.A. from the Rhode Island School of Design, and an M.F.A in Photography from the Yale University School of Art. The recipient of a John Simon Guggenheim Memorial Foundation Fellowship, an Aaron Siskind Individual Photographers Fellowship, a Kittredge Educational Grant from Harvard University and the Project Development Grant from Center in Santa Fe NM, he is the author of the monographs Where We Find Ourselves, Center for American Places, Pieces of String and Elegy, Radius Books. His work can be found in numerous museum collections, including the J. Paul Getty Museum (Los Angeles), the National Gallery of Art, the George Eastman Museum, San Francisco Museum of Modern Art and the Museum of Fine Arts Boston. Kimball’s images have been included in such publications as DoubleTake, Harper’s, PDN, Photo Metro, Photograph and Picture magazines. 

Kimball has taught photography for more than twenty years and is currently a Professor of Art at Amherst College in Amherst MA, USA.

Instagram
Facebook
Radiusbooks
Website

 

APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO VISUAL SPACES OF CHANGE (VSC) NA FEP

 

APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO VISUAL SPACES OF CHANGE (VSC) NA FEP


Realizou-se no passado dia 21 de Março na Sala 631 da FEP a apresentação pública do projeto Visual Spaces of Change (VSC). Esta apresentação contou com a presença de Susana Oliveira que, na qualidade de Vogal do Conselho Executivo da Faculdade de Economia do Porto, deu início a esta sessão.

O coordenador do projeto, Pedro Leão Neto, enquadrou este projeto de investigação que pretende criar uma rede de espaços e instituições públicas com a missão de comunicar de forma crítica e inovadora, dinâmicas de transformação e apropriação do espaço público na área metropolitana do Porto, enfatizando o potencial da Fotografia e da Imagem para revelar aspetos identitários de comunidades, arquiteturas e territórios, tornando visíveis diferentes modos de apropriação e transformação que ocorrem no espaço urbano. Apoiado nos resultados preliminares deste projeto nas suas diversas vertentes, foram apresentadas diversas exemplos concretos de exploração criativa da fotografia e do desenho, suas potencialidades de comunicação com uso de tecnologias de informação, e o uso combinado da Imagem com diversas formas de expressão artística. 

Neste contexto, teve também lugar a apresentação pública do Concurso Internacional de Desenho e Fotografia (DPIc) - Espaço e Identidade nas Faculdades da U. Porto: Visual Spaces of Change (VSC), dirigido a todos os estudantes e investigadores da U. Porto e cujo tema nuclear é a ideia de Utopia e de Espaços Visuais de Mudança (VSC), focada nos espaços e identidade das 14 Faculdades da U. Porto.

A apresentação pública destas iniciativas pretende assim contribuir para abrir caminhos inovadores de investigação e comunicação visual sobre arquitetura e espaço público, com foco em dinâmicas emergentes de transformação urbana, através da produção de narrativas visuais sobre como as diferentes arquiteturas, espaços e territórios da U.P. são utilizados, vividos e transformados pelas diversas pessoas, culturas e grupos sociais que a constituem enquanto sociedade ativa e participante no processo de constante formação e transformação da sua identidade colectiva.

O amplo espectro de representantes das várias faculdades da U.P que participaram desta apresentação pública demonstram o interesse suscitado por esta iniciativa, que deu espaço no final da sucessão a contributos diversos mas convergentes quanto à vontade de abrir cada vez mais a academia à sociedade, contribuindo assim para ampliar a capacidade da Universidade para participar na vida cultural da cidade do Porto e projetar os seus valores culturais e património  socioambiental à escala regional e internacional.

O evento teve entrada livre.

Ver PDF Apresentação

 

Aula Aberta André Castanho + Apresentação Sophia Journal com Álvaro Domingues

 
banner_andré_castanho.png

AULA ABERTA “CULTURA DA DESINTEGRAÇÃO " ANDRÉ CASTANHO +  ÁLVARO DOMINGUES – APRESENTAÇÃO DE SOPHIA JOURNAL: PHOTOGRAPHY AND ARCHITECTURE

5 de Abril | 14h30 - 16:00 |  (Sexta-feira) - Casa Cor de Rosa, sala CCR 0.1 e CCR 0.2 - FAUP

Aula aberta "Cultura da Desintegração" com André Castanho
Apresentação de Sophia Journal: Photography and Architecture
Exposição de trabalhos alunos e conversa com editorial.aefaup


Irá realizar-se na sala CCR 0.1 da Casa Cor de Rosa da FAUP, dia 5 de abril, próxima sexta-feira, pelas 14:30, mais uma sessão de ciclo Debates AAI, integrado na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP, contando com a presença de André Castanho (Arquiteto e Fotógrafo) e Álvaro Domingues (Geógrafo, Autor e Investigador – FAUP).

A aula aberta tem primeiro uma apresentação que tem como base o projecto desenvolvido por André Castanho “Cultura da Desintegração” que foi realizado entre os anos de 2011 e 2013 no âmbito da tese final de mestrado na Escola da Arquitetura da Universidade do Minho. O projeto propõe uma metodologia de representação e interpretação de uma amostra do Litoral Norte de Viana do Castelo ancorando-se na realização fotográfica sistematizada. Em seguida, será feita uma breve apresentação por parte de Álvaro Domingues do 2º número da revista Sophia Journal: Photography and Architecture e será iniciado um debate discussão com os alunos e participantes em volta da temática da Arquitectura na Fotografia.

Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 
Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
Estas sessões são abertas a toda a comunidade académica e a entrada é gratuita

Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 

Biografias
Álvaro Domingues
Álvaro Domingues (Melgaço, 1959) é geógrafo, doutorado em Geografia Humana pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto em 1994. Desde 1999 é docente do mestrado integrado e do curso de doutoramento. É também membro do Conselho Científico. Como investigador do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da FAUP, tem desenvolvido uma actividade regular de investigação e publicação no âmbito de projectos com a Fundação Calouste Gulbenkian, com a Fundação Ciência e Tecnologia, com a CCDR-N, CCDR-C, com a Xunta da Galiza, com a Escola Técnica Superior de Arquitectura da Coruña, com a Erasmus Iniversity of Rotterdam-EURICUR, com o Club Ville Aménagement – Paris; com o CCCB, Barcelona, com a Universidade Tècnica de Barcelona-Arquitectura, com a Universidade de Granada – Planeamento e Urbanismo, com as Universidade Federal de S. Paulo e do Rio de Janeiro-Brasil, com as Universidades do Minho e Coimbra, com os municípios de Guimarães e Porto, com a Ordem dos Arquitectos, com a Fundação de Serralves e a Fundação da Juventude, entre outros. No CEAU-FAUP a sua actividade centra-se na Geografia Humana, Paisagem, Urbanismo e Políticas Urbanas, quer em termos de investigação, quer em termos de assessoria externa e formação. 

André Castanho
André Castanho (Viana do Castelo, 1988) arquiteto, formado na Escola de Arquitetura da Universidade do Minho (2013), vive e trabalha na cidade de Braga. É colaborador dos Serviços Técnicos da Universidade do Minho, atividade que lhe dá o sustento para a sua vida e para as suas paixões, como a atividade liberal de arquiteto e a de fotógrafo. É enquanto estudante de arquitetura que descobre a fotografia, como forma de registo mas, sobretudo, como uma ferramenta útil para a representação e interpretação da paisagem. Entre 2010 e 2011 estuda do IUAV, em Veneza, onde é aluno de Guido Guidi, experiência que o leva a sedimentar a atividade de fotógrafo, como amador. Fotografa sistematicamente desde então contando com alguns projetos apresentados em várias exposições individuais e coletivas, assim como diversas apresentações públicas do seu trabalho:Encontros da Imagem “Postcards from Portugal” (Braga, 2016), Museu Nogueira da Silva “Cultura da Desintegração” (Braga, 2017), Zet Gallery “Be a Photographer” (2018). É autor do projeto doSkatepark de Guimarães e frequenta, atualmente, o Mestrado de Fotografia da Escola das Artes da UCP, no Porto.

Pedro Leão Neto (CCRE, AAI2 Lab)
Arquitecto pela FAUP (1992) onde actualmente é regente de Comunicação, Fotografia e Multimédia do 2º ciclo, é coordenador do grupo de investigação CCRE, integrado no centro de I&D da FAUP, coordenador do AAI 2 Lab integrado no Centro de Competências da Universidade do Porto para a área dos media U.Porto Media Innovation Labs (MIL) e Director da Associação Cultural Cityscopio (ACC). É Editor e coordenador responsável das publicações da scopio Editions desde 2010, cujo enfoque é o da fotografia documental e artística relacionada com Arquitectura, Cidade e Território.

 

APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO VISUAL SPACES OF CHANGE (VSC) NA FAUP

 

APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO VISUAL SPACES OF CHANGE (VSC) NA FAUP


Teve lugar no passado dia 20 de março (quarta-feira) na FAUP (Auditório EBS-P - Sala Plana pelas 18h30 a apresentação pública do projeto Visual Spaces of Change (VSC). Esta apresentação contou com a presença de José Miguel Rodrigues, abrindo a sessão como Director do CEAU.

O coordenador do projeto, Pedro Leão Neto, enquadrou este projeto de investigação que pretende criar uma rede de espaços e instituições públicas com a missão de comunicar de forma crítica e inovadora, dinâmicas de transformação e apropriação do espaço público na área metropolitana do Porto, enfatizando o potencial da Fotografia e da Imagem para revelar aspetos identitários de comunidades, arquiteturas e territórios, tornando visíveis diferentes modos de apropriação e transformação que ocorrem no espaço urbano. Apoiado nos resultados preliminares deste projeto nas suas diversas vertentes, foram apresentadas diversas exemplos concretos de exploração criativa da fotografia e do desenho, suas potencialidades de comunicação com uso de tecnologias de informação, e o uso combinado da Imagem com diversas formas de expressão artística. 

Ainda neste contexto, foi também apresentado o Concurso para Estrutura Portátil de Exposição e o 5.º Congresso Internacional On The Surface: Photography On Architecture — “Visual Spaces of Change: unveiling the publicness of urban space”, que terá lugar no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) no dia 31 de maio.

O evento teve entrada livre.

Ver PDF Apresentação

 

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO FICÇÃO E FABRICAÇÃO | MAAT

 
 

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO FICÇÃO E FABRICAÇÃO. FOTOGRAFIA DE ARQUITETURA APÓS A REVOLUÇÃO DIGITAL


Na passada terça-feira, dia 19 de março de 2019, inaugurou-se a exposição Ficção e Fabricação, Fotografia de Arquitetura após a Revolução Digital, no MAAT (Museu de Arquitetura, Arte e Tecnologia), em Lisboa.

Ficção e Fabricação reúne quase 50 artistas que constroem e manipulam imagens feitas a partir de objetos e espaços arquitetónicos. Assinalando os 30 anos da invenção do Photoshop e da invasão das ferramentas digitais na produção fotográfica, esta mostra foca o imaginário da arquitetura como tema fulcral de uma prática expandida da fotografia na arte contemporânea.

A exposição conta com a curadoria de Pedro Gadanho e Sérgio Fazenda Rodrigues e pode ser visitada na Galeria Principal do MAAT das 11h às 19h até dia 19 de Agosto de 2019.

A 5ª edição da conferência ON THE SURFACE irá acontecer por ocasião da referida exposição sob o tema “Visual Spaces of Change: Unveiling the Publicness of Urban Space” - com foco nas transformações contemporâneas do espaço público, esta edição propõe debater e explorar o potencial da Fotografia como instrumento significativo para investigar, refletir e tornar visível a emergência de novas experiências coletivas no espaço social.

 

2º CICLO DE DEBATES AAI - ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM - AULA ABERTA “REFLEXÃO PESSOAL SOBRE A NOÇÃO DE TERRITÓRIO ATRAVÉS DA FOTOGRAFIA" COM FRANCISCO VARELA

 
Captura de ecrã 2019-03-18, às 10.58.15.png

2º CICLO DE DEBATES AAI - ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM AULA ABERTA “REFLEXÃO PESSOAL SOBRE A NOÇÃO DE TERRITÓRIO ATRAVÉS DA FOTOGRAFIA" COM FRANCISCO VARELA

Decorreu no passado dia 15 de Março, às 14h30, no Auditório da Biblioteca da FAUP, mais uma sessão de ciclo Debates AAI, com uma aula aberta subjacente ao tema “REFLEXÃO PESSOAL SOBRE A NOÇÃO DE TERRITÓRIO ATRAVÉS DA FOTOGRAFIA". Esta aula contou com a presença do fotógrafo e arquiteto Francisco Varela e foi integrada na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP.

O trabalho de Francisco Varela baseia-se, em primeira instância, na descontrução de espaços por via do processo de captura fotográfica, e posteriormente, pela reconstrução destes em objectos que o mesmo chama de “dispositivos fotográficos” — foto-livros por vezes construídos de forma a possibilitarem leituras interactivas não-sequenciais, nos quais o seu leitor é livre de traçar o seu próprio percurso através do território neles contido e retratado. A obra resultante deste processo reflecte de forma clara a visão multidimensional de Francisco Varela acerca da sua noção pessoal de território, entendendo-o enquanto meio para questionamentos de ordem biográfica, arquitetónica, existencial, processual e estética.

Através da realização destes debates, pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 

Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
Estas sessões são abertas a toda a comunidade académica e a entrada é gratuita

Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 

 

Aula Aberta “Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM’19 – Mês da Arquitectura da Maia”

 
banner_andreia.jpg

Aula Aberta “Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM’19 – Mês da Arquitectura da Maia”

com Andreia Garcia - Architectural Affairs
22 de março | 14:30 - 16:00 | Forum da Maia

sessão 4
22 Março | 14h30 - 16:00 |  (Sexta-feira) – Forum da Maia
Aula aberta "Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward MAM’19" com Andreia Garcia – Architectural Affairs

Debate e Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM’19 – Mês da Arquitectura da Maia

Irá realizar-se no Forum da Maia, dia 22 de março, pelas 14:30, uma Visita Guiada à Exposição Fast Forward - MAM´19 conduzida por Andreia Garcia, curadora do evento, seguida por um Debate / Discussão com os alunos 

Esta é mais uma das sessões do ciclo Debates AAI, integrado na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP, mas que é aberta a toda a comunidade académica e público em geral.

Fast Foward, o tema do MAM´19, inova nesta edição ao ampliar o seu público assistente, sendo agora bilíngue e pretendendo explorar o futuro e temáticas que lhe são indissociáveis como território, paisagem, ambiente, arquitetura, tecnologia, mobilidade e sociedade.

A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal da Maia, foi criada pelo Atelier Andreia Garcia Architectural Affairs da arquiteta portuguesa Andreia Garcia que assina a curadoria do evento.

Através da realização destes debates pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 

Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).

Estas sessões são abertas a toda a comunidade académica e a entrada é gratuita


Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 


Biografias
Andreia Garcia (Architectural Affairs)
Andreia Garcia é doutorada em Arquitetura, atua como curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade. Para além da prática arquitectónica, o atelier Andreia Garcia Architectural Affairs, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, da prática curatorial e de projetos editoriais.
Andreia Garcia foi comissária do projeto Smaller Cities no âmbito da Capital Europeia da Cultura (2012), foi curadora do programa de arquitetura para a Bienal de Arte Contemporânea da Maia (2017) e é cofundadora da Galeria de Arquitectura, um espaço independente no Porto dedicado à reflexão sobre a arquitetura.

http://andreiagarcia.com
Pedro Leão Neto (CCRE, AAI2 Lab)
Arquitecto pela FAUP (1992) onde actualmente é regente de Comunicação, Fotografia e Multimédia do 2º ciclo, é coordenador do grupo de investigação CCRE, integrado no centro de I&D da FAUP, coordenador do AAI 2 Lab integrado no Centro de Competências da Universidade do Porto para a área dos media U.Porto Media Innovation Labs (MIL) e Director da Associação Cultural Cityscopio (ACC). É Editor e coordenador responsável das publicações da scopio Editions desde 2010, cujo enfoque é o da fotografia documental e artística relacionada com Arquitectura, Cidade e Território.

MAM’19 - MÊS DA ARQUITETURA DA MAIA - FAST FORWARD
1.03.2019 - 31.03.2019

Em 2019 o MAM´19 oferece mais uma vez um programa ambicioso, onde propõe uma antevisão do território a 100 anos com a participação de 8 ateliers de arquitetura emergentes e 4 críticos da arquitetura.

Fast Foward, o tema do MAM´19, inova nesta edição ao ampliar o seu público assistente, sendo agora bilíngue e pretendendo explorar o futuro e temáticas que lhe são indissociáveis como território, paisagem, ambiente, arquitetura, tecnologia, mobilidade e sociedade.

A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal da Maia, foi criada pelo Atelier Andreia Garcia Architectural Affairs da arquiteta portuguesa Andreia Garcia que assina a curadoria do evento.

A 2ª edição do Mês da Arquitetura da Maia incide num programa que se propõe a pensar sobre o futuro da cidade da Maia, onde um grupo de arquitetos emergentes, já reconhecidos internacionalmente, e críticos de arquitetura foram convidados a imaginar, expôr, discutir, refletir e revisitar a arquitetura da cidade da Maia no ano de 2119 de uma forma utópica e distópica.

A partir da criação de um conjunto de textos, maquetas, desenhos rigorosos, ilustrações, colagens, instalações, realidade virtual e leituras artísticas, a conjugação de visões que resulta desta exposição parte da cidade em estudo e alarga ao mundo o apelo à reflexão crítica, mais ou menos profética, enquanto provocação ao incremento da discussão sobre o futuro das cidades.

O MAM´19 conta ainda com 4 críticos portugueses de arquitetura a produzir reflexões prospectivas:
Inês Moreira – é Arquiteta doutorada, curadora, editora e professora. Estuda arquiteturas arruinadas, memórias coletivas e outros territórios artificiais, como paisagens ou espaços pós-industriais;
Joaquim Moreno - é Arquiteto doutorado e professor. Como curador participou da representação Portuguesa na Bienal de Veneza em 2008:
Pedro Bandeira – é arquiteto, Presidente da Escola de Arquitectura da Universidade do Minho. É autor de diversas publicações no âmbito da cultura arquitetónica, tendo sido galardoado com o Prémio de Crítica de Arquitetura da AICA/Fundação Carmona e Costa. Como curador colaborou com várias instituições;
Susana Ventura – é Arquitetura doutorada em Filosofia, curadora, escritora e investigadora sobre arquitectura intensiva. Foi curadora (com Pedro Gadanho e João Laia) da exposição Utopia / Distopia para o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia de Lisboa (MAAT).
Este proeminente grupo será ainda responsável pela moderação de uma série de 4 debates com os participantes do evento no dia 08 de Março.

A exposição terá lugar de 01 a 31 de Março no Fórum da Maia (de Terça-Feira à Domingo das 09h às 22h), a entrada é gratuita e livre (na exposição e nos debates).


Sobre os 8 estúdios convidados:
- Ana Aragão é arquiteta, mas decidiu dedicar-se em exclusivo ao desenho. A sua investigação prossegue em torno do tema dos imaginários urbanos: representação da cidade e modos de mapeamento subjectivo do território habitado e a sua experiência quotidiana;
- A Artéria é um atelier independente e multidisciplinar, que cria, desenvolve e executa projetos no âmbito da reabilitação urbana. Actua a partir de um diagnóstico utilizando metodologias de investigação - ação para a produção de projetos de intervenção urbana para a integração das comunidades;
- Corpo Atelier é um atelier de arquitectura e arte focado na exploração e expansão da anatomia arquitetónica. Através de um infinito processo de experimentação pelo meio da prática do desenho (e redesenho) e da maquete, questiona os limites da disciplina, possibilidades e lógicas comuns de cada elemento do corpo arquitectónico. Situando-se num território híbrido entre a arte contemporânea e a arquitectura;
- Os Espacialistas concentram os seus projetos na compreensão das relações espaciais, na transfiguração e na metamorfose do espaço corporalmente e simbolicamente habitado.
- Fala atelier criado em 2013 e liderado por Filipe Magalhães, Ana Luís Soares e Ahmed Belkhodja, projecta uma arquitectura hedónica e pós-moderna, intuitiva e retórica.
- Summary é um estúdio de arquitectura que procura no seu trabalho um balanço entre pragmatismo e experimentalismo, e cuja prática assenta no desenvolvimento de sistemas de construção baseados na otimização do tempo e dos recursos físicos.
- Skrei é uma oficina de projetos, construção e produção artística na qual se reúnem diferentes profissionais da construção – técnicos, artistas, executantes projectistas, académicos – numa prática profissional integrada, procurando redefinir o modo e a tradição de abordar a construção, impulsionando novos modos de projectar e novos modos de construir.
- Branco Del Rio é um atelier que realiza projetos dedicados à exploração territorial em conexão direta com os atores locais como agentes que integram, interagem e intervém na transformação dos lugares. A atenção atribuída à materialidade, enquanto parte da experiência sensorial, é uma característica recorrente nos seus projetos e uma das procuras constantes para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes.

Sobre Andreia Garcia Architectural Affairs:
Andreia Garcia é doutorada em Arquitetura, atua como curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade. Para além da prática arquitectónica, o atelier Andreia Garcia Architectural Affairs, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, da prática curatorial e de projetos editoriais.
Andreia Garcia foi comissária do projeto Smaller Cities no âmbito da Capital Europeia da Cultura (2012), foi curadora do programa de arquitetura para a Bienal de Arte Contemporânea da Maia (2017) e é cofundadora da Galeria de Arquitectura, um espaço independente no Porto dedicado à reflexão sobre a arquitetura.

Acompanhe e participe nas atividades nas nossas redes sociais:
Facebook e Instagram
http://andreiagarcia.com
www.facebook.com/mesdaarquiteturadamaia

 

2º CICLO DE DEBATES AAI - ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM - AULA ABERTA “TIPOGRAFIA - PENSAMENTO - ACÇÃO" COM JOSÉ CARNEIRO

 
Sequence 01.Still001.jpg

2º CICLO DE DEBATES AAI - ARQUITETURA, ARTE, IMAGEM AULA ABERTA “TIPOGRAFIA - PENSAMENTO - ACÇÃO" COM JOSÉ CARNEIRO

Decorreu no passado dia 1 de Março, às 14h30, na sala CCR 0.1 da Casa Cor de Rosa da FAUP, mais uma sessão de ciclo Debates AAI, integrado na unidade curricular de Comunicação, Fotografia e Multimédia (CFM) do 4º e 5º ano e CAAD do 3ºano da FAUP. Esta aula aberta contou com a presença de José Carneiro, Professor Auxiliar da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, subjacente ao tema “TIPOGRAFIA - PENSAMENTO - AÇÃO“.

Sendo que a utilização da tipografia se tornou uma prática comum no contexto da vida contemporânea e que esta relação está presente em vários suportes e plataformas, esta comunicação focou-se na identificação dos princípios mais elementares de uma relação adequada com as letras, frases e textos. Pretendeu-se, assim, encorajar a forma de pensar, ver e utilizar a tipografia nos suportes de comunicação em que os projectos de arquitectura se movimentam. Destacou-se ainda a relação entre a tipografia e a fotografia no contexto particular do foto-livro.

Através da realização destes debates, pretende-se contribuir para a criação de um espaço de exploração, debate e reflexão de ideias em torno de novos caminhos de investigação sobre o espaço público, com um enfoque em dinâmicas emergentes de transformação urbana e a utilização da imagem com especial incidência pela fotografia como instrumentos de pesquisa e comunicação. 

Estas temáticas, inseridas nos debates AAI, são de grande interesse para o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC), AAC n.º 02/SAICT/2017 (refª POCI-01-0145 - FEDER - 030605), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT, I. P.).
Estas sessões são abertas a toda a comunidade académica e a entrada é gratuita

Enquadramento
A organização destes debates é da responsabilidade da organização do Centro de Comunicação e Representação Espacial (CCRE / CEAU / FAUP) e o Laboratório de Arquitectura, Arte, Imagem e Inovação (AAi2 Lab), no âmbito do projecto VSC. 
O grupo de investigação CCRE – Centro de Comunicação e Representação Espacial – tem desenvolvido uma série de actividades de índole pedagógica, documental e de investigação relacionando Arquitectura e Arte.
O objectivo geral destas actividades tem sido o de promover uma ampla reflexão sobre o contributo das imagens na compreensão da realidade e na construção de imaginários, entre o documento e a ficção, entre a reprodução e a manipulação, entre o analógico e o digital.
Estas actividades têm vindo a integrar diversas acções ligadas ao universo da imagem contemporânea, mais especificamente à fotografia, permitindo também a participação de grupos e cidadãos exteriores à academia, abrindo desta forma as universidades à sociedade civil e a outras instituições.
No universo da Imagem, a Fotografia é objecto de particular interesse, sendo explorada e analisada de forma crítica como um instrumento de registo e investigação numa perspectiva Inquisitiva, Curatorial e Comunicativa. O espaço privilegiado para esse registo e investigação fotográfica é o da Arquitectura, entendida como um universo amplo que integra simultaneamente os níveis macro e micro da transformação do Território e da Cidade e as suas múltiplas Vivências. 
Com o apoio institucional da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), da Reitoria da U. Porto e da scopio Editions, este 2º Ciclo de debates AAI – Arquitectura, Arte e Imagem estará muito ligado à exploração da fotografia como instrumento de reflexão sobre a transformação do espaço público. 

 

Conferência MAM’19 - MÊS DA ARQUITETURA DA MAIA: PENSAR O TERRITÓRIO DAQUI A 100 ANOS

 

Conferência MAM’19 - MÊS DA ARQUITETURA DA MAIA: PENSAR O TERRITÓRIO DAQUI A 100 ANOS


Na passada sexta-feira, dia 8 de Março, teve lugar no Auditório Venepor um conjunto de debates integrados na conferência principal do MAM´19. O grupo de investigação CCRE, integrado no Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo (CEAU) marcou presença na conferência, reforçando o espírito de colaboração e apoio entre o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC) e o MAM´19, uma sinergia que se tem vindo a desenvolver através de diversas iniciativas de divulgação relacionadas com seus projectos e programas.

A iniciativa Mês da Arquitetura da Maia conta mais uma vez com a curadoria da arquitecta Andreia Garcia, promovendo pelo segundo ano consecutivo um espaço de comunicação e debate significativo onde são exploradas e discutidas diversas temáticas: território, paisagem, ambiente, arquitetura, tecnologia, mobilidade e sociedade.

O tema deste ano é “Qual o futuro das cidades no próximo século?”, e o MAM´19 num espírito de “Fast Forward” faz um esforço de antevisão do futuro do território e do planeamento urbano, convidando ateliers e críticos de arquitectura a projectar o concelho da Maia em 2119.

A exposição do MAM´19 está patente no Fórum da Maia desde o dia 1 até ao dia 31 de Março, e é fruto do trabalho de oito arquitectos emergentes e quatro críticos consagrados — Ana Aragão, Artéria, Banco Del Rio, Corpo Atelier, Fala, Inês Moreira, Joaquim Moreno, Os Espacialistas, Pedro Bandeira, Skrei, Summary e Susana Ventura — os quais esboçam uma reflexão crítica, mais ou menos profética, sobre o impacto da evolução do urbanismo, mobilidade, tecnologia, gentrificação, alterações sociais e ambientais no território. O resultado deste trabalho assume a forma de textos, maquetas, desenhos rigorosos, ilustrações, colagens, instalações, realidade virtual, numa integração de diferentes visões e abordagens criativas.

Em paralelo com o 2º Ciclo de Debates AAI - Arquitectura, Arte, Imagem: Programa de Aulas Abertas na FAUP para as unidades curriculares relacionadas com o ensino da fotografia, propôs-se aos alunos assistirem às conferências / debates MAM’19, considerando esta iniciativa de muito interesse para as unidades curriculares relacionadas com Fotografia de Arquitectura, Cidade e Território e o projecto de investigação Visual Spaces of Change (VSC).

Link para a página do MAM´19.